Protótipos de CAD

Após o Scan de um objecto físico o modelo pode desenvolver alterações, para melhorar o produto, através de um sistema de modelação CAD, que consiga converter os ficheiros STL para o determinado sistema de CAD.
Para a produção de protótipos físicos, peças ferramentas, moldes de injecção de plástico, aplicações médicas dentárias ou outras, ou o restauro de artefactos com origens paleontológicas, através de modelos de CAD.
As tecnologias que permitem produzir estes modelos físicos, passam por impressoras 3D. A grande maioria das impressoras existentes no mercado imprime em plástico (por fita ou pó), sendo poucas que imprimem protótipos físicos em metal.
Para a produção de protótipos com formas complexas, como por exemplo moldes para injecção plásticos, pode se ser utilizado tecnologias tais como o DMLS – Direct Metal Laser Sintering. O exemplo abaixo de uma máquina destas que se encontra na UTP -Unidade de Tecnologias de Produção do DMTP no LNEG (antigo INETI).
O Processo DMLS baseia-se na construção de camadas de pó de 50 µm. Sendo que a sinterização dos pós é feita através da incidência de um lazer que funde o material com o ponto de fusão mais baixo.
Uma das propriedades importantes do pó é que tem de ter uma granulação média de 50 µm, para serem bem misturados, a densidade do pó ser de 40% a 50%, baixo teor de oxigénio, temperaturas de fusão diferentes, baixa viscosidade da fase líquida, boa molhabelidade do sólido pelo líquido, boa absorção e baixa reflexão da energia do laser, e propriedade térmicas favoráveis à transmissão de energia. Os parâmetros no processo são a velocidade do lazer, potência, estratégias de iluminação.
A morfologia do pós que são utilizados com frequência são o Direct Stell 50(fig.. à Esq..), com Fe/0.05C(T=1510ºC) como elemento principal, e o New Bronze Copper(fig.. à dir..), com Cu(Tf=1085ºC).
Quanto as propriedades do material após sinterizadas podem se analisar no seguinte hiperligação.
Enviar um comentário