Sociedades sociais CAD

Pensando sobre como os programas e aplicações de informática para os vários segmentos das engenharias se irão desempenhar no futuro dos mercados. Na minha opinião a engenharia em geral e engenharia de aplicações pode ser considerada como uma sociedade fechada. Nalgumas empresas os desenhadores e engenheiros trabalharam fechados nos seus gabinetes, fazendo o seu trabalho e lançando os resultados para as pessoas da manufactura. No entanto acho que a situação vai mudar muito em breve, pelo que existem alguns factores influentes que na minha opinião vão introduzir algumas mudanças nestas áreas.
Através da globalização o desenvolvimento da comunicação, transporte e internet mudou um panorama de como os produtos podem ser desenhados e produzidos. Pelo que se torna global, e começando assim como operações que se iniciam em outros países fora do país nativo e assim diversificando e optimizando as actividades e os métodos de produção e a desenvolvimento dos desenhos na construção e suporte de produtos.
Quanto às redes sociais e os mercados que se está a tornar mais ampla permitindo às pessoas de estabelecer conexões de encontrar ofertas de emprego e de serviço de diferentes maneiras. Tendo em conta a tendência de globalização dos trabalhos da engenharia distribuída que se pode tornar mais forte nos próximos anos, como o caso da Amazon Mechanical Turk.
Amazon Mechanical Turk é um crowdsourcing que permite a programadores (conhecido como “Requesters”), que têm de ter um endereço nos Estados Unidos, para coordenar o uso da inteligência humana para realizar tarefas que os computadores são incapazes de fazer. Os solicitantes são capazes de representar tarefas conhecidas como HITs (“Human Intelligence Tasks”), como escolher a melhor entre várias fotografias de uma loja da frente, escrever as descrições do produto, ou identificar artistas em álbuns de música. Trabalhadores (chamados “Providers” em Mechanical Turk) podem então navegar entre as tarefas existentes e concluí-las por um pagamento monetário fixado pelo solicitante. Para colocar HITs, os programas solicitam usar uma interface de programação de aplicação aberta.
Embora estes tipos de negócios locais serem interessantes o que eu acho mais interessantes os clientes terem uma ferramenta de CAD de baixo custo intersticial para uso por desenhadores e engenheiros e outros que não são utilizadores de CAD a tempo parcial, ou que simplesmente não precisam da história da raiz do modelo base CAD. Era engraçado ver algumas grandes empresas do ramo inscrever para haver literalmente milhares de cópias, podendo assim fazer as coisas bem interessante no negócio CAD.
Podendo ver esta apresentação da GrabCAD durante a AU2011
A ligação da GrabCAD aos serviços de crowd-sourcing é bastante interessante mas pode necessitar de ferramentas adicionais que podem ajudar as pessoas a comunicar-se e reutilizar os modelos.
Isto fez-me pensar sobre um potencial impacto de modelos de crowdsourcing pode fazer no desenvolvimento de aplicações PLM. Aqui está a ideia de em poucas palavras. Design1 é um bom começo da Local Motors precisava de uma ferramenta de CAD barato que pode ser usado pela comunidade de pessoas. A comunidade de pessoas é, obviamente, usando a internet como uma forma de comunicar. Então, ao fazer isso, uma das maiores preocupações da segurança da nuvem serão dissolvidos sendo que os dados fluam através da internet de qualquer maneira. Obviamente a comunidade pode estar interessada em ter ferramentas de PLM para apoiar a gestão de dados, comunicação e processos em toda a comunidade.
Quanto ao futuro dos conteúdos da comunicação social das comunidades de engenharia, visto que o conceito de comunidade na internet está bastante na moda, como seja o sucesso do Facebook, uma tecnologia social e proximidade de uma comunidade virada para o futuro, pelo que não passa despercebido um comunidade que absorve mais de meio bilhão de usuários sob as asas, isto claro a construção de uma grande comunidade é feita em torno de um forte conteúdo. Isto aconteceu com a passagem das grandes empresas do universo da web 2.0 que tiveram que fazer um desenvolvimento comunitário e a interligação dos sistemas de CAD com os PLM’s e as tendências sociais.
Mas a verdadeira inovação que surge no mercado é a GrabCAD um “modelo de serviço”, ainda sem se saber como vai funcionar no futuro mas pensando sobre as pessoas que requisitam um serviço de engenharia por através desta página web faz algum sentido e pessoalmente acho que esta tendência irá aumentar. Outra ideia interessante são as bibliotecas multiplataforma de modelos CAD 3D, sendo este um ponto forte, pelo que os vendedores de sistema de CAD estão lutando, defendendo-se relacionadas dos formatos privados CAD que são desenvolvidos, e atravessar essas linhas pode ser uma experiência interessante, como caso recente da “The Pirate Bay” que inseriu uma nova categoria que é 3D. Acho que isto vai fazer avançar as bibliotecas existentes em GrabCAD e páginas web de serviços trazendo assim o valor conteúdo online ao dispor da engenharia.
Enviar um comentário