Manufactura de impressão 3D VS manufactura em escala

Muitas pessoas têm falado ultimamente de impressão 3D VS a produção em escala. A implicação é que a produção individualizada localizada irá suplantar o paradigma da produção actual com uma terceira revolução industrial. Nós todos nos tornamos fabricantes e fazer exactamente o que queremos utilizar a impressão 3D. Embora enalteço este optimismo e que diga e escreva que a impressão 3D vai trazer uma terceira revolução industrial, mas também acho que não vai ser exactamente dessa forma. Em vez disso acho que a impressão 3D irá desenvolver-se de forma mais concentrada e focada nos consumidores de produtos único e representem um estado de arte, cerca de um porcento dos bens. A impressão 3D não será usada por todos para fazer qualquer coisa, mas sim ser usada por alguns para fazer as coisas que mais gosta. Além disso acredito que através deste caminho de impressão 3D virá para abrandar a produção em grandes escalas e melhorar o pesado volume que a produção em grandes escala exigente em nosso planeta.

Para mim o grande potencial da impressão 3D está na sua capacidade de criar coisas originais que são exactamente adequados ao seu propósito seja no poder da originalidade. A substituição de um osso em titânio e produzido nas dimensões exactas, uma prenda que se enquadre ao momento, um objecto que melhor se adapte a si, seja todas as coisas feitas especificamente para dar a maior utilidade à pessoa naquele momento. Pelo que é a própria pessoa que desenha, com o estilo que pretende, e com a descrição que pretende dar, que a própria pessoa realizou. Produtos criados desta forma serão imensamente valiosos para seus criadores e para os outros também, e ao permitir a produção de ideias e conceitos, a indústria de impressão 3D poderá antecipar e responder à demanda de qualquer tipo de bens específicos. Eu não acredito que a impressão 3D fará fabricação universal como até mesmo algo tão básico como a alfabetização não é universal, mesmo agora, assim como também acho que nós vamos ter tempo para fazer modelação CAD e a impressão 3D das coisas, mas no entanto acho que as pessoas mais ambiciosas e que queiram melhorar as coisas vão migrar para a impressão 3D.

Uma pessoa que seja mais apaixonada por desenho de interiores fará o seu próprio candeeiro com a sua própria expressão do que ela quer e precisa, e se houver alguém que pedir um conselho sobre decoração de candeeiros, então a pessoa de desenho o candeeiro pode dizer que pode imprimir o respectivo objecto

Da mesma forma quando um avô questiona o neto sobre que tipo de auscultadores deve de comprar, o neto vai-lhe dizer para imprimira-los em 3D a fim de obter um auscultador que se ajuste perfeitamente ao ouvido. Do outro lado do espectro os consumidores técnicos nas áreas como a moda, electrónica, desenho de interiores, jóias, automóveis, e outros, vão todos migrar para a impressão 3D. E talvez porque eventualmente os especialistas vão querer fazer valer os seus conhecimentos através da criação de uma tijela que é melhor do que todas as tijelas comuns que qualquer pessoa pode comprar, ou uma lâmpada que é mais bonita do que outras lâmpadas como as do Ikea. E por que são lâmpadas Ikea comuns? Porque todo mundo já tem, esta é a armadilha que as empresas bem-sucedidas de produção de massa vão tentar estar na frente da linha da excitação. Mas a disseminação dos seus produtos torna menos interessante, porque as pessoas já não podem diferenciar-se através desses produtos. Coisas icónicas como a iPhone evitam este tipo de armadilhas pelo status de propagação, mas isso coloca os consumidores que estão à procura de coisas novas sempre com esse tipo compromisso, e impressão 3D dá a estes consumidores especialistas uma saída.

Precisamente porque esses especialistas que nos rodeiam e que buscam conhecimento e perfeição que vão aderir e aperfeiçoar sua própria experiência em primeiro lugar. Quase toda a gente tem um vizinho que tem algo assim. Uma vez que essas pessoas têm migrado para impressão 3D e vai criar um mercado para FabLabs de serviços de impressão 3D, casa e escritório impressoras 3D assim como ferramentas de modelação 3D etc., e este mercado natural continuará a propagar-se. Eventualmente os consumidores mais informados e ricos vão migrar para este mercado garantindo um impulso importante para a economia da impressão 3D e talvez até mesmo da sua auto confiança. As pessoas que aderirem à impressão 3D inicialmente, serão de alguma forma líderes informais de uma vanguarda seja os adaptadores de tendências iniciais, esta fina faixa fina da população que está sempre em busca de coisas melhores. As pessoas que pagaram 1000€ por leitores de DVD e BluRay quando este tipo de tecnologias saiu, sejam os consumidores do estado arte sempre na linha da frente das novas tendências. Talvez eles são apenas uma pequena percentagem da população e talvez eles só consideraram o uso de impressão 3D para que um caso de uso específico, devido a isso permite a estimativa conservadora de que as pessoas se voltem para impressão 3D em apenas um porcento dos produtos que são criados.

Enquanto isso os brinquedos dos Happy Meal e das televisões LCD barata continuarão a ser manufacturadas em massa, ou seja comprar mais os olhos conseguem encher, pelo mesmo preço. Mas as grandes empresas que fazem apenas contas ao preço pela dimensão irá se perceber que seja um cm de monitor é mais barato, esquecem de dois pontos fundamentais que são a da complexidade de manufactura do produto e promessa do marketing.

Complexidade de manufactura do produto

O aumento da complexidade dos produtos de consumo baratos que pode comprar hoje é impressionante, actualmente posso comprar uma máquina fotográfica com 14 megapixéis, zoom digital de 3x por menos de 100€, e há uns anos atrás este tipo de máquina fotográfica era certamente o dobro ou triplo do preço assim como horríveis, e daqui a uns meses este tipo de camaras fotográficas terá 20 megapixéis, mas esta declaração sobre a câmaras de 14 MP será feita sem sentido daqui uns meses, pelo que é incrível nível de competição no resultado de câmaras digitais nomeadamente nos saltos para a frente no preço, software, resolução do megapixel, e acima de tudo, a complexidade do desenho das suas formas. Na necessidade de satisfação de maior resolução das camaras as empresas de grandes produções de câmara continuam a aumentar a quantidade de recursos que elas precisam consumir a fim de obter receitas correntes. Na verdade na minha opinião a busca de maior resolução nos televisores, computadores, jogos de computador, consolas, telefones e câmaras é uma das coisas que mais destrutivas ambientalmente que fazemos como seres humanos. Ela obriga indústrias inteiras a ter que fazer as coisas mais complicadas que consomem mais e mais dos recursos do planeta terra. E eles só fazem isso porque nós já esperamos que cada coisa nova para ter uma resolução maior do que a coisa que ele substitui, assim traduz-se em mais resolução em maior armazenamento e uso de maior largura de banda e das repercussões sobre os efeitos de maior resolução permear indústria. Mas por que exactamente eu mesmo quero uma câmara de alta resolução?

A armadilha da resolução! Tenho uma máquina fotográfica de HP 7 Megapixel pelo menos á cinco anos, um montante que deve de aparecer nas camaras dos telemóveis em breve. Nos últimos anos a HP tem substituído camaras que não consigo perceber quais serão os novos modelos, mas parece-me que a minha camara é visivelmente melhor do que as câmaras anteriores, pelo que posso fazer mais vezes zoom e software pode me ajudar em algumas situações em tirar fotos melhores, mas os próprios megapixéis? Eu não consigo ver como qualquer aumento de megapixéis além da minha câmara actual poderia se traduzir em melhores fotos para mim, em se conseguir ver melhor as borbulhas no meu rosto realmente não significa que tive um bom tempo de lazer, mas porque estamos actualmente preocupados com a resolução de nossas televisões e câmaras. Na minha opinião não há apenas nenhuma utilidade maior em megapixéis aumentar para além deste ponto, pelo que se chega a um ponto de saturação dos megapixéis que qualquer aumento adicional vai começar a perder a perder a estética, e o aumento na resolução não me vai transformar num melhor artista de renome. A armadilha da resolução é um retrato da produção em massa em que aumenta o nível de complexidade de manufactura para níveis insustentáveis e ​​enquanto não consegue entregar a crescente utilidade os consumidores.

Como muitas das empresas que chegam a mercado internacional e global, e que possui cadeias fornecedoras e entre a concorrência que joga ferozmente questiona sempre o que melhorar no produto seja na máquina fotográfica em cada ano.

Milhões de pessoas escavam a terra, bombam petróleo, refinam, tornam no em plástico, transformá-la em componentes, montá-lo, montá-lo em partes mais complexas, vai e vem em navios da China, da Indonésia juntamente com madeiras do Brasil, chips dos EUA, placas de circuito da Tailândia, o desenho da Suécia, e o selo de certificação do Japão. Este se calhar é o sistema mais complexo e incrivelmente que o homem já criou. A manufactura de um telemóvel quase se compara com a construção de uma pirâmide, com o seu número elevado de peças e materiais proveniente mais de países diferentes como seja desde da Austrália para a Arábia Saudita. Só que esta pirâmide tem que ser mais barata em poucos meses tem existir um melhor. Uma pessoa pode dizer que já viajou muito mas garanto que a sua máquina fotográfica ou telemóvel já viajou muito mais do que uma pessoa poderá viajar. Pode-se ver o caso dos computadores portáteis, como sejam os HP ou Asus, se tivessem que devolver os componentes de volta para voltarem ao ponto de origem, seria completamente insustentável.

Produção em massa só vai trazer-nos um mundo onde o nosso aterro ficará cada vez mais bonito. Vamos apenas continuar a deitar fora coisas mais bonitas, coisas novas e mais complexas a uma taxa cada vez mais acelerada. Nos como ser humanos vamos estando sempre pairando sobre os recursos do mundo em pesquisa da felicidade através do consumo. Como receita de marketing e descartável se espalhou pelo mundo muito mais pessoas vão querer e poder comprar bens manufacturados em massa, e o impacto actual negativo sobre o meio ambiente já é perceptível, mas só está sendo criado por um pequeno segmento da população do mundo.

Se olharmos para as estatísticas da OCDE, podemos ver o consumo interno de materiais dos países da OCDE Recursos Materiais Ambiente. Esta é a soma total de todos os materiais extraídos e usados numa economia de biomassa e de metais em materiais de construção, e excluindo todas as exportações. O consumo por capita de material para os países da OCDE é de 17,9 toneladas, em 22 dos países mais ricos do mundo 17,9 toneladas de material a cada ano é usado por pessoa num ano. Como em Portugal, um país que viu grandes ganhos económicos ao longo do período de 1980 a 2005 viu o seu consumo interno por capita consumo interno de materiais aumentar 118% no período, e esse tipo de crescimento constantemente iria colocar uma carga excessiva em nosso planeta.

Mas mesmo sem esses aumentos da produção em massa que está claramente no caminho que é insustentável, a OCDE tem 1,1 bilhão de cidadãos e para cada um se transforma 17900 quilos de terra em coisas cada ano. Um carro de passageiros como o Toyota Corolla pesa 1270 quilos, se por pessoa que usar até 14 carros de passageiros no valor de material por ano, ou seja dito de forma diferente 11933 garrafas de Coca 1,5 litro de material são extraídos e transformados em coisas todos os anos para cada um dos 1,1 bilhões de habitantes do países OCDE, 11933 garrafas de Coca-Cola desta terra transformados em computadores e câmaras para pessoas como eu e todos os outros cidadãos da OCDE. Feche os olhos e tente imaginar 11933 garrafas de Coca-Cola por um segundo, Isso é apenas uma parte do seu impacto ambiental.

Impressão 3D vai combater mas isso mas seria parvo porque tentar competir de frente com um sistema tão destrutivo estabelecido. Em vez disso a impressão 3D deve procurar pairar sobre os todos consumidores que queiram criar produtos melhores e mais perfeitos e dar-lhes uma a iniciativa da impressão 3D. Isto irá retardar o crescimento da produção em massa reduzindo algum do tempo e atenção que lhe foi dada, também irá florescer a impressão 3D, enquanto na sombra de Produção em Massa, a suprema ironia claro é que é precisamente aqueles que mais alimentam o rolo compressor insustentável de produção em massa é que vão migram para impressão 3D. Aquele amigo seu que tem uma grande casa e possui na sala colunas com cabos de ouro e tem uma gigante televisão assim como uma cama que parece um sarcófago. Este é o tipo de pessoa que financia a expansão da produção em massa em bens cada vez mais complexos. Assim com cada novo convertido à impressão 3D menos pessoas bem financiadas serão adeptas da produção em massa.

A impressão 3D de facto lentamente desvenda a bolha que é produção em massa, mas não esvaziá-la completamente. Apenas faça-o parar de crescer e murchar um pouco como um balão depois de um dia de festa. E a ironia do lado de uma busca da perfeição os consumidores irão se tornar produtores e passar para a impressão 3D, isto talvez porque estejam descontentes com as promessas de marketing.

O outro culpado da produção em massa é o revolucionário marketing, como as suas promessas.

O marketing foi inventado porque os donos das grandes empresas preocupavam-se em manter as suas taxas de transferências, as fábricas de baixo custo a produzir, assim como ficar sem produtos para que os consumidores pudessem consumir os seus produtos, eles temiam que uma vez que já tinha vendido todos dois pares de sapatos que já não iriam ter mais negócios. Os mercadores seja o pessoal de marketing começou a criar a demanda e vender estes produtos com promessas. No início as suas promessas foram centradas em torno das características dos produtos em si, mas logo começou os mercadores começaram a prometer coisas cada vez mais bizarras e completamente alheios ao produto. Como por exemplo cada nova pasta de dentes irá troná-lo ainda mais bonito e ainda mais feliz do que a última, e como o marketing é actualmente um grande negócio e os rebanhos inundadas parecem ignorar as mensagens mais óbvias, as promessas e isso fará com que o marketing se torne cada vez mais independentemente do produto a apresentar faz marketing só vai se tornar mais e mais estranho e cada vez mais independente dos produtos. Mas se o pessoal do desenvolvimento do produto está desenvolver o aumento dos pixéis nas camaras fotográficas e transmite-se isso ao pessoal de marketing e eles só falariam sobre isso.

Mas não é isso que o pessoal de marketing faz, o que faz é um branqueamento sobre as camadas e camadas imaginadas por outras marcas desses produtos ou de outro produto que se pode encontrar, e a sua intensão é que o maior número possível de pessoas obtenha a informação do dado produto, e com esses valores são imaginados as promessas dos mercadores sobre pilhas e pilhas de custos são adicionados ao produto em busca de maiores margens. Até agora grandes partes de nossas vidas são gastas assistindo publicidade e sua cada vez mais claro que, mesmo que haja um aumento vertiginoso na sofisticação e desempenho de muitos produtos esses produtos ainda estão aquém das promessas feitas durante a sua comercialização. É incrível que podemos ir de um a dois a três para doze ou vinte megapixéis com queda de preços das câmaras fotográficas, mas em vez de louvar o que os fabricantes das câmaras fotográficas nos prometem é melhores aniversários, mais diversão, mais amigos. Suas mentiras e exageros só irão aumentar em severidade conforme o tempo passa e como eles prometem mais a produção em massa tem de trabalhar mais para aumentar a funcionalidade mas com o marketing de felicidade por 9.99 prometer melhores esforços de produção em massa que estão condenados a ficar aquém. O fabricante de câmaras fotográficas é portanto obrigado a consumir mais e mais dos recursos da terra e em vão na tentativa de agradar a um consumidor com uma câmara fotográfica melhor, enquanto o consumidor está à espera da sua felicidade prometida. Devemos confessar a verdade uma câmara fotográfica nunca vai nos fazer felizes.

Tudo que você possui é uma treta, pelo que houve uma lacuna de credibilidade crescente entre as promessas do que se está a ser entregue por anos. E mesmo que alguns mercadores luta com as bases de sua indústria também precisa de se manter nos dizer mentiras, mas obviamente eles não podem admitir que tem mentido aos consumidores durante tanto tempo. Também eles foram obscurecendo um segredo ainda mais escuro profundo, esse segredo é que a produção em massa é porque o desenho é incapaz de nos dar o melhor de qualquer coisa, a produção em massa pode fornecer-nos com coisas maravilhosamente e complexas e baratas, mas não pode dar o melhor sapato, câmara ou camisa. A produção em massa é obrigada a fazer milhões ou milhares de coisas para o maior grupo identificável. Eles têm que fazer as coisas para muitas pessoas para que o seu modelo seja viável, esta padronização por concepção significa que tudo que você possui é medíocre, e o seu significado é que é para massas e não para a pessoal, seja todos os produtos em massa é uma treta, concebido para atrair o maior grupo identificável eles não podem atender as necessidades específicas de qualquer indivíduo, esses produtos são porreiros para todos e perfeito para ninguém. Uma vez que alguém percebe isso vai estar no seu caminho para a impressão em 3D, inexoravelmente. E quem serão essas pessoas descontentes ser? Os que aderem desde do início a esta tecnologia de ponta.

A diferença de preço do custo, simultaneamente com os produtos manufacturados em massa que produzem margens maiores e estão a ser reduzidos pelos custos dos produtos produzidos por impressoras 3D. Mesmo que o custo unitário das coisas 3D impressas é muito mais elevada, o aumento da especificidade do desenho técnico e o utilitário corresponde superiormente à concepção do seu criador mais do que compensa está na diferença de preços. Além disso existem limitações como os materiais que não chegam ao consumidor final, mas afinal os consumidores do estado de arte pessoas que adquiram leitores de DVD e blueray por mais de mil euros, esses consumidores continuam expostos às promessas de alta aos problemas técnicos, às iniciativas fracassadas. Este lote de pessoas depois de estar agrupada num recanto confortável e impressão 3D com o tempo ira fazer com que o número dos produtos manufacturados em grandes escala comece a diminuir, e lentamente muito da crista de onda das iniciativas de esforço e a inovação criativa irão perder o seu brilho e a manufactura tendera para impressão 3D. A produção em massa vai continuar a existir na loja como um produto novo e de alto valor e espero que como o passar dos anos o seu apetite voraz por mais e mais dos recursos do planeta em nome de maior resolução e outros sonhos falsos diminuirá. Valor que será criado na realização do desejo.

Impressão 3D é uma tecnologia de realização do desejo?

De uma forma abstracta a impressão 3D é uma tecnologia de realização de desejo. Mas para que a impressão em 3D seja capaz de igualar a capacidade da produção em massa das câmaras produzidas levaria muitos anos e nunca poderia ser possível. Melhor cortar e trabalhar com essas tecnologias para usá-las como blocos de Lego para construir o que uma pessoa precisa no momento, mas cada pessoa fazer o que pretende apenas é uma coisa para alguns pelo que necessita de tempo e investigação para fazer as coisas que essas pessoas precisam para si. Para outros será um grande aborrecimento, desta forma apenas um determinado tipo de pessoa será atraído para impressão em 3D, esse tipo de pessoa estará interessada ​​na tecnologia ou nas coisas que as pessoas podem fazer com esta tecnologia.

É talvez este pequeno grupo que hoje que está a empurrar a tecnologia para a frente. Estes são os inovadores da vanguarda, eles olham para a impressão 3D para cumprir seus próprios desejos e alguns estão descobrindo que é como um veículo para desejos de outras pessoas e com a impressão 3D pode ganhar-se algum dinheiro. É através da compreensão de impressão 3D e suas restrições que os inovadores podem ganhar dinheiro, antecipando os produtos e processos que irão atrair outras pessoas para participar em acampamento de impressão 3D. Estes inovadores e as actuais receitas desses negócios da indústria de impressão 3D criará a procura e a tecnologia necessária para cumprir esses desejos durante a tentativa de prever os desejos que pessoas irão ter.

Deste modo a impressão 3D irá florescer na sombra a produção em massa, enquanto isso o mercado dos serviços da impressão 3D irão ser lançados e vai arrastar mais pessoas. A ostentação será focada nesses projectos, mas a acção real será que os indivíduos que decidam que eles precisam da perfeição para que uma coisa, como os viciados em gadgets, e serão eles que farão crescer a impressão 3D, e aos poucos e lentamente os utilizadores de produções em massa vão pairar sobre a impressão 3D. Mas não parece muito emocionante pelo que apenas este pequeno número de pessoas distribua a manufactura. Talvez uma super abundancia de coisas imprimidas por impressoras 3D em cada área de trabalho seja toda a gente a fazer coisas de que gosta. Mas talvez daqui a dez anos a recita gerada pela impressão 3D será de quinze porcento ao invés do um porcento que actualmente é do mercado.

Mas observe por uns instantes, é a impressão 3D melhor para o meio ambiente? Como um processo de impressão 3D tem várias vantagens intrínsecas que a tornam mais ecológica do que a produção em massa. Ao produzir perto do consumidor menos carbono é emitido. Usando menos material porque se trata de um processo de aditivo que prejudique a terra menos na criação das coisas. Ao produzir localmente ou na impressão doméstica 3D poderia ser acoplado a um reciclador que iria oferecer da reciclagem o material necessário seja um circuito fechado e dentro de casa. Cansado de seu prato? Recicla-lo e fazer um novo, potencialmente menos coisas mais elevadas de utilidade poderia substituir os muitos produzidos em massa.

Mas os maiores de impressão 3D benefícios ambientais estão na forma simplifica de fabricação. Uma cadeia de suprimentos câmaras fotográficas dispõe de milhares de fornecedores individualmente motivados em muitos países e será muito complexo e difícil para uma empresa, mesmo que quisesse de fazer auditorias e reduzir seu impacto sobre o meio ambiente. Nos mercados chaves e distribuidores cansados e que obscurecem o fornecimento das peças das camaras fotográficas que são feitas individualmente e os impactos que tem nos processos e nas sus matérias-primas. Na produção em massa onde os investimentos nas ferramentas, nas fábricas e nos processos farão que a produção seja menos amigável e por um longo tempo, independentemente dos avanços tecnológicos. Fechado num baixo custo de produção paradigma as empresas de produção em massa também poderão encontrar-se relutantes ou incapazes de adoptar novas tecnologias mais ecológicas.

Compare esse processo todo com uma peça 3D impressa, isto faz com que o material de entrada numa empresa será o material de impressão 3D. Se um material forte e biodegradável sair do processo de impressão 3D pode fazer com que seja biodegradável e assim um processo amigável para o meio ambiente. Sem uma infinidade de pressão dos fornecedores que poderiam ser trazidos para os fabricantes de impressoras 3D e fabricantes de material para fazer materiais mais ecológicos. Seria mais fácil de cumprir uma vez que as cadeias de fornecimento de materiais são relativamente muito curto, desta forma os ganhos em materiais que se traduzem em ganhos de eficiência enormes para o mercado de impressão 3D inteiro. Mesmo que os fabricantes de impressoras 3D não optarem por esse tipo de processos, as pessoas poderiam cortar nas suas próprias impressoras 3D para tirar materiais mais novos e mais amigos do ambiente. Inovações em diversos materiais poderiam desta forma transformar a impressão 3D num processo verde e com isto fazer tudo com impressão 3D sendo assim ambientalmente sustentável. Eu não acho que uma inovação comparável poderia acontecer dentro de produção em massa, e é por isso que eu acredito que a impressão 3D é a esperança da humanidade.

A esperança da humanidade, será que isso irá parecer demais, mas pensei sobre isso por um tempo muito longo e eu quero dizer isso, o verdadeiro potencial da impressão em 3D não é na medida uma democratiza a inovação, produção e do desenho técnico. Esses factores por si já têm um impacto significativo no planeta, um benefício muito maior da tecnologia seja ela directa ou indirectamente, seja melhorando as coisas no planeta, acelerando e tornando o desenvolvimento de produtos mais granular, mas o maior potencial que a tecnologia tem é eu podemos ter o nosso próprio produto e utiliza-lo, e se a impressão 3D se torna-se um processo verde poder-se-ia fazer tudo o que queremos de uma forma sustentável. Nós poderíamos dar aos nossos desejos de novos óculos de sol e brinquedos sem destruir o planeta com nosso consumo. No processo poderia usar a impressão 3D para criar melhores produtos ao invés de seguir recentes tendências, nós não temos que consumir menos ou desistir dos produtos que nós gostamos mas sim criar o que queremos quando queremos, e dessa forma a impressão 3D poderia cumprir os nossos desejos sem encher os aterros.

Enviar um comentário