Interpretação das falhas dos pensamentos inovadores no desenho técnico de engenharia

O objetivo deste estudo é explorar fatores que causam falhas em processos de pensamento inovadoras do desenho técnico na engenharia mecânica. Um processo de inovação pode ser entendido como o pensamento complexo e multi faseado e o processo de resolução de problemas gerando novas soluções e principalmente soluções inesperadas, em que as fases são parcialmente sobrepostos e simultâneas. Esta natureza complexa do processo de inovação exige bastante da gestão da inovação e portanto não é incomum que os processos de inovação falhem. Identificar problemas e deficiências é importante porque ajuda as organizações a eliminá-los no futuro. Este estudo focaliza os processos de pensamento dos intervenientes individuais num processo de inovação que é conhecido por como abordagem de micro inovação. Esta abordagem compreende inovações como sendo baseada no pensamento humano, e este post mostra um relacionamento como os fatores de conhecimento, de gestão, interação logística estão a causar falhas no desenho técnico mecânico. Acho na minha opinião pessoal estas algumas das rezões de falhas, outros fatores que contribuem foram para a falta de pensamento de longo prazo e incapacidade de compreender a perspetiva do pensamento de outros.
1.Introdução
Surgimento da inovação como processo tem várias pré-condições complexas, uma delas está intimamente relacionada à forma como os seres humanos pensam. Somente por meio do pensamento é que é possível renovar ideias e produtos e por esta razão é essencial que estude como o pensamento humano está envolvido com processos de inovação.
Tenho ouvido por várias vezes o comentário algo similar a “o pensamento inovador”. No entanto muito raramente tem em consideração os processos de inovação como pensar ou contar com os conceitos e métodos de investigação do pensamento humano, dai surgir o termo de micro inovação para referir aos processos de pensamento dos utilizadores individuais num processo de inovação.
A inovação pressupõe idealização, desenho, modelação, marketing de produtos e venda, pressupõe também a aceitação pelos utilizadores durante os processos de difusão relacionados com todos estes processos que envolvem vários processos de pensamentos complexos organizados, se algum deles falhar a inovação nunca verá a luz do dia. Portanto é essencial que a gestão da inovação também vê o pensamento humano como um fator importante para as inovações. Existem muitos tipos de fatores que podem destruir os processos de inovação promissores e só através da compreensão das razões para a sua existência e sua natureza de gestão da inovação pode responder por elas, para obter uma imagem holística das inovações como o pensamento, temos de estudar os processos dos pensamentos envolvidos em todas as etapas da inovação, sendo um dos processos o do desenho técnico mecânico.
O tópico principal deste blogue é o desenho técnico mecânico que é um processo complexo e criativo, embora muitos dos seus procedimentos e operações são baseadas em rotinas, podendo geralmente encontrar algo novo e diferente a cada vez observa para o desenho. O desenho técnico mecânico pode ser definido como um processo de pensamento que visa organizar a natureza para que possa atender às necessidades humanas, é portanto um processo de pensamento em que a ciências naturais, matemática, física e química são aplicadas para a conversão de recursos da natureza para atender aos objetivos declarados humanos. No início os engenheiros mal sabem qual será o resultado final dos seus esforços mas no final do seu pensamento e do processo de resolução de problemas das soluções de trabalho podem ser encontrados.
Engenharia é baseada no pensamento humano assim portanto está pré disposto a erros e falhas, e os processos do desenho técnico mecânico da engenharia mecânica muitas vezes implica erros fatais. Devido a isso o pensamento da engenharia tornou-se altamente valorizada na resolução e investigação de problemas e como resultado tem-se inúmeros manuais e orientações práticas de engenharia para explicar no processo do desenho técnico. Foi corretamente assumido que explicando e utilizando metodologias de desenhos sistemáticos iria melhorar nosso pensamento do desenho técnico. Num estudo em que se analisaram 800 casos de falhas estruturais que levam à morte 504 pessoas e 592 feridos e milhões de euros em prejuízos incorridos, aonde os engenheiros tinham tido a culpa, os investigadores classificaram as causas do fracasso como um conhecimento insuficiente era 36%, a subestimação de influência era 16%, a ignorância, descuido, negligência era 14%, esquecimento, erro erra 13%, a dependência de outros sem controlo suficiente era 9%, situação objetivamente desconhecido de 7%, definição imprecisa de responsabilidades 1%, a escolha de má qualidade 1% e outros 3%. Isso mostra que a compreensão sobre os erros da engenharia é um objetivo social importante, mas a análise de erros de engenharia também é importante pois mostra como o pensamento humano está organizado em processos de inovação, os erros expõem os fatores que são relevantes para a compreensão dos processos do pensamento envolvidos e suas pré-condições.
Alguns investigadores desenvolveram métodos cognitivos empíricos para a resolução de problemas humanos, consequentemente assim surgiu literatura orientada para o desenho técnico de engenharia, então por tradição tornou-se importante encontrar uma melhor compreensão entre o conhecimento empírico e o pensamento dos desenhadores técnicos.
A lógica dos erros no pensamento do desenho técnico torna-se bastante claro se definirmos erro como incapacidade para atingir o plenamente dos objetivos do desenho, a incapacidade de criar um produto que irá satisfazer os critérios mais elevados na área também é considerado como sendo um erro. Por exemplo os engenheiros que não levam a sério a importância dos novos avanços técnicos estariam cometendo erros, isto é demonstrado por empresas de processamento de texto que não começar a desenvolver aplicações gráficas de interação em tempo e sofreram graves perdas como consequência dos seus erros de cálculo.
A inovação exige novas formas de pensar que por sua vez cria desafios para as capacidades cognitivas humanas, além disso a atividade da inovação é sempre relacionado a riscos e insegurança porque os resultados são muitas vezes além de prenúncio, estes resultados não são imediatamente percebidos porque a atividade de inovação é por natureza um investimento a logo prazo orientado para o futuro, não é à toa que a atividade de inovação nas organizações é muito vulnerável a pensamentos de riscos, cálculo errados e outros erros.
2. Método
Os dados consistem de dezoito entrevistas estruturada, os entrevistados eram posições a nível de gestão que representam o desenho de grandes a médias empresas, e em primeiro lugar os desenhadores podem ser questionados porque é que falhavam os processos de inovação, seguindo de mais questões de quais razões porque os processos de inovação falham, estas questões incluem questões como porque é que acha que não havia informação suficiente disponível, ou na sua opinião o que deveria de ter sido feito de forma diferente, a fim de evitar o fracasso, sendo o objetivo principal de encontrar alguns erros típicos no pensamento por trás da maioria fatores de fracasso comuns. As entrevistas devem de ser digitalmente gravadas e transcritas, para categorizar as respostas, o material que é analisado qualitativamente através da análise de conteúdo baseado em dados. Os resultados quantitativos também podem ser atingidos pela soma dos casos em cada categoria. A Tabela 1 mostra a área de negócios que devem de estar inseridos os entrevistados
Área de negócios n
Campos diversos de engenharia 4
Construção 3
Infraestruturas 3
Florestação e papel 2
Processos de tecnologia 2
Consultadoria 1
Energia 1
Mar 1
Técnico 1
Os entrevistados podem ser muitas vezes bastante relutantes em compartilhar suas próprias experiências sobre as falhas, pelo que facilmente admitem que erros acontecem mas normalmente não existe um interesse na memorização ou analisá-los, e por vezes esta relutância pode ser explicado por uma tendência humana para rejeitar as coisas desagradáveis que possam representar uma ameaça ao auto conceito. As entrevistas podem ser realizadas por telefone ou por vídeo conferencia, e estes meios podem não deixar os participantes confortáveis ou sem confiança suficiente para compartilhar os seus erro na vida profissional.
3. Resultados
Ao todo os comentários foram fornecidos em relação ao explicar o fracasso. Os comentários foram classificados em três principais fatores de falha: 1) Conhecimento, 2) Gestão, e 3) Interação. O fator de conhecimento consiste em dois subtipos: o conhecimento insuficiente e conhecimento falso. O fator de gestão consiste num tempo lento, a insuficiência de recursos, a estrutura organizacional rígida, ninguém no comando e não ser orientar por objectivos e operações sistemáticas. O fator de interação é composto de interação insuficiente com clientes, os conflitos entre os atores e redes inadequadas.
3.1 Fator de Conhecimento
Os processos do projeto consistem em várias fases inter-relacionadas onde uma fase anterior define a próxima fase. A fase mais crítica é a fase preliminar que é sobre a adquisição de dados e definição de um plano para o desenho técnico. A fase preliminar cria uma certa estrutura para todo o processo e as deficiências nessa fase podem colocar todo o processo em perigo. A informação inadequada e falsa na fase preliminar foi considerado o motivo mais comum para falhas as informações inadequadas referem-se a situações em que os planos do desenho técnico são feitas e operações do desenho técnico são realizados sem dados abrangente devido a horários que são apertados e tempo custa dinheiro. Planeamento e construção em simultâneo em que os construtores são muitas vezes forçados a começar a construir antes dos desenhos estarem prontos não havendo tempo para assegurar e verificar os resultados. A aceleração e horários apertados também são dados como razões para a informação falsa e a falta de dados é muitas vezes devido a estes factores, tornando-se óbvio que a falta de pensamento ao longo prazo leva à pressa, e a longo prazo a pressa pode levar a erros e problemas que são dispendiosos.
E por vezes as compatibilidades são muitas vezes carentes de propriedades técnicas e não são verificadas, assim como existe alguma hesitação no inicio do desenho que resulta em dados preliminares serem inadequados, não haver tempo para adquirir dados, e é apenas no final do desenho é os surgem os problemas, como por exemplo a compra de novos dispositivos e poderosos porque o dispositivo original não era adequado suficiente, sendo estas questões entre os gestores de fornecimento e o desenhador projetista.
3.2 Fator de Gestão
O tempo é essencial em processos de inovação, os tempos importunos são momentos que referem-se a situações em que os desenhadores entram muito tarde ou muito cedo no mercado com as suas ideias, nesta categoria dois em cada três pensou que a entrada ia ser muito cedo no mercado e que ia causar problemas. Ou o equipamento e os programas não são avançados o suficiente para obter um produto ou serviço no mercado ou clientes não estão prontos para o novo produto ou serviço, seja é muito cedo para entrar no mercado o que implica que o foco tem sido principalmente na perspetiva do desenho de modelação e tem sido ignorados faltado uma visão global dos elementos tecnológicos, sociais e financeiros.
Uma subcategoria de insuficiência de recursos pode-se referir tanto ao tempo ou finanças, a falta de tempo leva a pressa e negligência muito trabalho e muito pouco tempo para isso a aceleração está intimamente relacionado com a atividade de inovação. Especialmente nos processos de pensamento criativo, como o desenho, a pressa pode levar a pensar e a rotina com base nos detalhes pode levar à negligência. A insuficiência de recursos é em parte devido à natureza do trabalho de desenho de modelação, e o número de projetos de desenho mecânico vária muito às vezes há vários projetos simultâneos e outras vezes que são poucos, e a gestão deste tipo de variabilidade não é fácil especialmente quando ninguém pode prever o número de futuros projetos de desenho mecânico. O montante de recursos destinados ao desenvolvimento e investigação também foi considerada insuficiente, a falta do pensamento de longo prazo prevalece devido às demandas por resultados imediatos operações diretas em detrimento da investigação e desenvolvimento.
As atividade de inovação requerem flexibilidade e capacidade de se ajustar às novas circunstâncias. A estrutura organizacional rígida leva a operações rígidas e resistência ao acaso o que ambos provaram o enfraquecimento da capacidade da inovação. Pela minha experiencia pessoal a rigidez foi acorre com frequência entre as atitudes dos membros de organizações, em que consideram que as formas de fazer as coisas é a melhor e única causando barreiras para nas perspetivas inovadoras, além disso aderindo a métodos de trabalho antigos que eram comum, seja as pessoas fazem as coisas como estamos acostumados a fazer.
Os resultados de um projeto não são postas em ação por causa da relutância em mudar de maneira de fazer as coisas, podendo ser devido a departamento de relações públicas, consultadoria, gestão e educação. Os projetos de desenho são compostos de processos de multi-fases muito complexos envolvendo muitas pessoas que podem observam as coisas com uma perspetiva muito diferente dependendo de suas profissões, e esta complexidade exige muito da gestão todos os diferentes aspetos devem ser combinados garantindo que a interação entre as diversas profissões funciona. A inovação pode falhar devido a uma ideia turva sobre liderança que são mencionados por alguns, e não se discute quem assume o controlo caso falte uma visão holística, mas talvez o principal problema pode ser da gestão por confiar nos outros e deixar andar os problemas.
Uns projetos pode ser ótimos no papel, mas se não houver ninguém à frente desse projetos o projeto pode morrer.
Como por exemplo a verificação das ferramentas para o funcionamento, porque o processo de inovação não é um caos descontrolado mas sim um caminho organizado de resolução de problemas. A atividade de inovação requer portanto operações sistemáticas e perseverantes e a falta de orientação por objetivos e a operações sistemáticas são as razões para algumas das falhas da inovação. As novas ideias são muitas vezes introduzidas mas elas são deixadas em banho marinha sem haver depois um maior desenvolvimento de práticas concretas, e a demandas de resultados imediatos e lucros obtidos a longo prazo são ações orientadas para um objetivo difícil.
3.3 Fator de interação
Interação insuficiente com os clientes refere-se a situações em que as necessidades ou desejos dos clientes são ignorados ou mal compreendidos, e isso pode facilmente levar a situações em que a demanda de mercado não se auto corrigi. Os desenhadores por vezes desenham coisas que ninguém quer, a principal razão para este tipo de problema é a linguagem em que o cliente não entende a terminologia do desenho técnico e sendo os desenhadores incapazes de se comunicar em termos leigas, sendo como comunicação à distância, em que as pessoas muitas vezes assuem que aquela linguagem é compreendida por aquele grupo, sendo utilizados exemplos e conceitos que são completamente diferentes das áreas de especialização, pelo que a incapacidade de ver as coisas do ponto de vista dos outros é evidente. É dentro das empresas que se consegue se aperceber sobre o que os clientes querem e não produzir produtos que ninguém no mercado quer.
O segundo subtipo do facto de interação é designado por conflitos entre os atores em que os projectos de conceção do desenho técnico mecânico existem em várias unidade que trabalham separadamente de uns dos outros e os objetivos podem ser muito diferentes entre si. Além disso existem diferentes expectativas sobre os projetos de desenho mecânico e diferentes pontos de vista sobre eles assim como às vezes é difícil chegar a um consenso.
Os conflitos poderiam ser entendidos como falhas para chegar a um objetivo comum que se refere novamente ao conceito de distância comunicativa. A capacidade de comunicar e trocar ideias é uma parte importante do processo criativo e de inovação, assim o sucesso dos parceiros na inovação consegue-se alcançar uma visão comum e a troca de ideias criativas e avaliações dessas ideias depende da capacidade de elaborar uma linguagem comum que é um factor essencial para o desenvolvimento de um entendimento comum. A partilha de uma linguagem comum torna mais fácil ter acesso a outras pessoas e suas informações. Para combinar as informações obtidas através da interação social as diferentes partes devem ter alguma sobreposição nos respetivos conhecimentos.
A inovação é por vezes o pensamento de redução de redução significativa de custos por má concepção, mas por vezes os pontos de vista das partes podem diferentes e o consenso é por vezes difícil de alcançar. Os projetos de desenho técnico de sucesso requerem continuidade e oportunidade na cooperação entre diferentes atores. O Networking inadequado foi considerado motivo para falhas nalguns casos, pelo que a falta de redes poderá levar a pontos de vista unilaterais e incompletos o que poderia ser fatal. Networking é conhecido por estar relacionado com a capacidade de inovação das empresas. As razões para as redes podem ser resumidas da seguinte forma: 1) compartilhar riscos, 2) a obtenção de um novo mercado, 3) necessidade de adotar novas tecnologias, 4) redução do acesso ao mercado e 5) unificando competências complementares. As redes insuficientes poderiam implicar falta de pensamento de longo prazo e auto superioridade, mas uma organização não sobrevive dependendo apenas de si mesmo.
4.Conclusões
Um processo do desenho técnico mecânico é um processo complexo que inclui interação multidimensional com os ambientes sociais, técnicas e econômicas, e os resultados do pensamento num processo de um projeto depende de muitos fatores dentro e fora das organizações. Portanto explicar o fracasso da inovação em termos de um fator ou dois é muitas vezes insuficiente isolado, uma falha é sempre um resultado de diversos fatores. Este post mostra que a pressa, e a falta de pensamento de longo prazo e incapacidade de entender a perspetiva de outras pessoas estavam presentes na maioria dos casos de falha de inovação.
Os processos de inovação em desenho técnico mecânico incluem ambos os processos internos e externos. Processos externos relacionam ao desenho técnico e ao desenvolvimento de produtos e serviços. Processos externos ocorrem frequentemente com a interação com um cliente. Processo de inovação internos referem-se ao desenvolvimento de uma estratégia própria de uma empresa a fim de melhorar o seu desempenho. Foi muitas vezes mencionado que um processo de inovação interno tenha ocorrido simultaneamente com um processo de inovação externo, as inovações são entendidos como processos de resolução de problemas multidimensionais que são dependentes da capacidade dos atores de aprender, cooperar, adoptar e aplicar seu conhecimento. Todos estes elementos foram expostos através de dados.
Este post mostrou que existem condições para o pensamento inovador no desenho técnico mecânico explicando porque as coisas ficam piores do que as pessoas pensavam, assim como existem motivos racionais para erros. Estas razões combinam os fatores internos e externos, de modo que eles podem nos dizer onde as pessoas falharam nos seus pensamentos. Para a gestão da inovação trabalhar para melhorar os processos de inovação nas empresas este tipo de conhecimento é essencial. Eles sabem que tipos de fatores que têm que reconhecer para uma determinada empresa eliminar riscos de erro e desta forma para melhorar indiretamente os níveis de processos de inovação nessa empresa.
A investigação sobre a micro-inovação fornece-nos uma ferramenta adicional na gestão da inovação, pelo que traz um carácter técnico para substituir as intuições na análise das condições prévias para o pensamento inovador, dessa forma a micro-inovação tem um papel claro na pesquisa da inovação e é importante para o desenvolvimento deste tipo de investigações para apoiar os processos de gestão da inovação.
Enviar um comentário