Alguns dos funcionamentos das empresas no futuro

A maioria das pessoas conhece os benefícios da manutenção preventiva, a manutenção pode evitar a fratura o que é crucial para os manufatores é como a falha ou fratura da máquina pode levar a períodos de inatividade. No entanto não importa o quanto a manutenção preventiva é feita as máquinas podem e ainda falham. No entanto para a próxima geração de fábricas este conceito de falha pode se tornar uma coisa do passado.
Complementando a manutenção preventiva e a manutenção preditiva não é tanto sobre a tentativa de evitar o fracasso mas como calcular exatamente quando isso vai acontecer para que possa ser evitado.
A manutenção preditiva não é nova. Vibração e análise acústica foram utilizadas durante muitos anos em determinados sectores como na indústria aeroespacial, ajudando a detetar falhas e sinais reveladores de problemas. No entanto a introdução da análise de dados está a revolucionar a manutenção preditiva, o que pode ajudar a falhas de previsão não apenas alguns dias antes de acontecer, mas semanas, meses e até anos antes.
A análise de dados preditiva permite observar o futuro mas para fazer isso precisa-se adquirir o máximo de dados possíveis, mas quanto mais dados você se reunir mais tempo vai levar para executar a modelação do modelo e quanto mais a história que se tem melhores são as previsões.
Por exemplo a empresa Blue Yonder, tenta adquirir os dados dos sensores das máquinas, variáveis operacionais, quando a produção de uma determinada empresa diminui, assim como factoring em elementos aleatórios como o clima.
É necessário saber quais dados são úteis e quais não são para a geração de modelos para obter previsões consistentes e robustas, e ao automatizar o processo e acreditar que se pode fornecer previsões altamente precisas de quando as máquinas irão falhar permitindo assim aos utilizadores tomar medidas antes que aconteça alguma falha. Algumas empresas estão agora a oferecer serviços de manutenção preditiva para variados produtos, pelo que as soluções de manutenção preditiva abre novas possibilidades inovadoras para as empresas, permitindo inicialmente o reconhecimento de uma falha ou paralisação e poder implementar as medidas corretivas a serem planejadas e introduzidas na empresa de forma mais eficaz. Significa também paragens não planeadas podem ser evitadas e os funcionários e os recursos podem ser utilizados de forma mais eficaz. Estas empresas que conduzem este tipo de análises não baratas, e depende da dimensão física da empresa.
Ferramenta de previsão de baixo custo como o caso atual de uma start-up acredita que pode fornecer manutenção preditiva em uma fração do preço das grandes empresas que gerem grande número de dados, a Augury Systems desenvolveu uma ferramenta de manutenção preditiva que se liga diretamente a um smartphone e combina a aquisição de dados com acompanhada por um equipamento de aquisição por ultra-som e vibração tradicional. Estes sensores desenvolvidos pela Augury custa pouco mais de mil euros, que é uma fração pequenas dos equipamentos que seguem as normas da indústria como a norma ISO 10816 para medir a vibração, e norma ISO 18436-8 para o diagnóstico
Mas a grande vantagem da solução da Augury é que a interface é bastante amigável, qualquer pessoa pode utilizar. As falhas específicas têm assinaturas na vibração e ultra-som único e os sensores conseguem detetar. Antigamente uma pessoa ou um operador necessitava de um técnico altamente qualificado para interpretar os dados mas através deste tipo de sistemas um telemóvel inteligente vai indicar exatamente o que está errado com um determinada máquina.
E este tipo de dispositivo que também vem com também possui uma plataforma web para gravação e analisar os dados já salvou umas centenas de milhares de euros a algumas grandes empresas de produção como por exemplo na substituição de motores e tempo de inatividade por conseguir detetar uma falha como por exemplo num de seus sistemas de refrigeração, isto devido à facilidade de uso e precisão daa solução de manutenção preditiva da Augury Systems, pelo que este tipo de soluções pode facilmente detetar falhas mecânicas críticas que são rapidamente capaz de reparar com base na programação de manutenção que existe na empresa.
Máquinas auto corretivas
O futuro ainda não desvendou as grandes surpresas para manutenção preditiva, investigadores da Universidade de Illinois em estão atualmente a trabalhar em máquinas que podem realmente curar-se como por exemplo através da utilização de circuitos elétricos que podem excretar num polímero ou num metal para corrigir e reparar os intervalos dos impulsos nos sinais do circuito.
Mesmo assim, este tipo de tecnologia de auto-reparação está a anos de distância aqueles que no campo da manutenção preditiva acreditam que estão entrando em uma nova era de fabricação. Pelo que se irá observar a máquinas a comunicar umas com as outras e serão capazes de ordenar as suas próprias peças e solicitar de serviços, acho que no futuro se observara a uma eliminação ou redução dramática das avarias das máquinas.
A ascensão das grelas inteligentes na indústria
Uma das principais tendências na indústria 4.0 é a interação inteligente entre equipamentos e os sistemas de controlo que imita a evolução dentro das redes nacionais de eletricidade, é como se a sua fábrica fosse um microcosmo da grelha inteligente.
A integração da indústria é uma das principais vantagens da indústria integrada que são os equipamentos e sistemas de controlo dos processos que pode trocar dados em tempo real. Isso significa que se pode fornecer informações sobre como os processos estão a funcionar e de que forma eficiente permitir que os operadores de centrais de energia utilizar a eficiência energética como um indicador chave de desempenho assim como se faz com o volume de produção e de qualidade atualmente. O resultado é que os padrões mínimos de eficiência estão sendo implementados em todo o mundo.
As tecnologias inteligentes começam a deixar a sua marca na rede e inclui análise em tempo real da análise de distribuição, localização de falhas e o seu isolamento, sistema de automação, medição inteligente e gestão de energia, bem como o poder de controlo da qualidade através de processos como a compensação de potência reativa e redução de carga.
Num ambiente industrial isso traduz-se na necessidade de implementar uma comunicação bidirecional em tempo real, medição digital inteligente, manutenção baseada na condição preditiva, controle de fluxo de energia, proteção em tempo real e de mensuração, e capacidades de automaticamente de regenerar e todos estes processos desenhados para maximizar a eficiência da empresa.
A necessidade de comunicação, mas para este fim um conjunto de sistemas complexos de comunicação está gradualmente a fazer fazendo incursões em ambientes industriais. Instrumentação e sensores para medir diretamente os dados do processo complementar relés de proteção e centros de controlo de motores onde o início dos motores provem informações valiosas a partir da interface do processo. Transformadores de distribuição fornecem dados sobre os estados de carregamento e manutenção de necessidades assim como temperaturas e distribuição do fluxo de energia da rede.
ABB EMAX 2Tanto para a teoria auspiciosa, mas o que sobre a prática real, um exemplo de um dispositivo de economia de energia inteligente é da ABB Emax 2 Lançada em 2013, esta peça inteligente do equipamento que é descrito pelos seus criadores como o primeiro disjuntor de baixa tensão do mundo com a gestão de energia integrada.
Os disjuntores são utilizados em ambientes de baixa tensão como em edifícios industriais e comerciais, centros de dados ou navios que exigem grandes quantidades de energia assim como proteção.
A unidade contém um relé de viagem com um controlador de energia integrado que mede e avalia o consumo de energia e a gestão das cargas para manter ou reduzir o uso de energia dos picos de energia conforme determinado pelo utilizador.
Uma aplicação típica pode por exemplo ser numa fábrica é necessária uma peça adicional de equipamento com uma carga de alta potência, o que exceder o uso de potência máxima, o Emax 2 pararia o fornecimento de energia elétrica a uma fonte não-essenciais tais como o ar-condicionado na cantina que está vazio por causa do almoço acabou. A gestão da construção pode determinar como ele está definido para atender às necessidades específicas da planta e garantir a máxima eficiência energética, podendo reduzir o consumo de potência de pico de uma instalação típica de edifício em 15%.
O custo futuro da energia irá depender dos dispositivo que são apenas uma das muitas maneiras em que o uso de energia e as emissões de carbono na indústria irá diminuir no futuro o que tem que ser uma coisa boa, mas há um outro lado da moeda. Este melhoramento significativo da eficiência nos próximos anos pode ter resultados inesperados nas futuras redes elétricas inteligentes, pelo que as redes inteligentes irão melhorar significativamente a dinâmica de distribuição de carga assim como melhorar os padrões de comunicação e irá ajudar a ser mais eficiente e mais conveniente sobre se a nossa tarefa feita, haverá consequências no que diz respeito a custos e preços. Acho que as coisas que se tornam mais eficientes ser tornam também mais caras, mas existe um mercado livre inteiro e que irá representar a grande questão em como os utilitários irão continuar a fazer um lucro.
No futuro pode-se prever que o aumento da eficiência levará a contratos de acesso ao regime de tarifários semelhantes às tarifas dos telemóveis, nesse ponto a energia não é o maior custo, mas sim o acesso à energia. Os serviços irão gradualmente aumentar a sua carga ao cliente, porque eles não são grandes o suficiente em volume, e acabam por vender a energia não por unidade de eletricidade, mas pelo serviço.
Enviar um comentário