Férias (Parte1)

Dias típicos de férias sem grandes planos para a escrita do blogue Coisas.
Para que não sinta muito a falta da escrita de Coisas em português e não me esqueça da frequência de realizar post, este tempo para descansar têm estado a ser utilizado para outras Coisas não tão distantes das Coisas, talvez comece a ter mais tempo útil para escrever e a oportunidades para escrever alguns casos de estudo.
Mas esta paragem depois de um longo tempo depois dos percalços que dissipam as motivações pessoais da escrita das Coisas, em grande parte deve-se de ao fim de vida do meu automóvel com 27 anos e as longas horas perdidas em transportes, assim como vizinhos barulhentos. 
IMAGEM00
IMAGEM00
E claro que durante este tempo parado na escrita tem sido a trabalhar e tentar melhorar a condição social precária devido à instabilidade do mercado laboral que é bastante exigente e das atividades quando se tenta inovar. A tentativa de investigar a título pessoal e com alguma ética, pouco efeito têm em conseguir atingir os meios financeiros para uma vida sustentável.
A realidade pode ser problemática para o problema do desemprego por exemplo dos jovens que é um problema global e sendo importante examinar mais profundamente as questões do desemprego dos jovens, porque tem alto grau de fator social. A elevada taxa de desemprego significa um desperdício de recursos limitados e desacelera a longo prazo o potencial de crescimento de uma economia em resultado de menores rendimentos portanto menor demanda agregada e as taxas de crescimento do PIB. O objetivo deste Post é esclarecer as dimensões do problema do desemprego dos jovens através da análise do desemprego nos países da EU e a apreciação e provar que ser empregado não significa que os jovens tenham empregos correspondentes as suas qualificações.
1. Introdução
A crise económica e financeira mundial influenciou os jovens e sua posição no mercado de trabalho em todo o mundo, desde da lenta recuperação que se iniciou em 2010 muitos jovens têm vindo a tentar encontrar um emprego e agora estão ameaçadas por riscos de períodos prolongados de desemprego e exclusão. Segundo alguns investigadores investir na juventude para dar-lhes uma oportunidade justa no mundo do trabalho é mais do que nunca uma prioridade política fundamental em todos os países aqueles que permanecem desempregados e têm um problema para adquirir a sua habitação própria e assim ser independente e não se tornar dependente subsídios do governo e/ou o trabalho ilegal.
O estatuto de desempregados pode ser um incentivo para o trabalho no estrangeiro e muitas vezes pode ser uma população bem-educado que não estão no mercado interno suficientemente para ser uma alta valorização. Ambiente econômico deprimido e o impacto associado na força de trabalho tem em grande medida aumentou as necessidades e demandas dos alunos para reequipar suas capacidades e adquirir novas competências e alinhar o conhecimento para a nova economia emergente para evitar ser despedido. Na Europa a proporção de jovens empregados envolvidos em trabalhos que não sejam convencionais está a aumentar, incluindo o emprego temporário e o trabalho a tempo parcial e as evidências mostram que uma parte significativa do aumento é involuntário e não por escolha, mas também temos de contar também preferências, hierarquia de expectativas, determinantes dos jovens deficientes.
A potencial razão pode ser a experiência de trabalho como vantagens competitivas importantes na procura de emprego e na prática a exigência de experiência de trabalho constituem um obstáculo para muitos jovens porque eles são incapazes de obter experiência de trabalho e simultaneamente eles não conseguem encontrar um emprego por causa da falta de experiência de trabalho.
2. Mercado de Trabalho no contexto de desemprego juvenil
Como mencionado acima existem várias razões para o desemprego dos jovens para além da situação geral do mercado de trabalho e do fator importante são um dos sistemas de educação e formação, políticas de mercado de trabalho e de emprego, mas também a estratificação e distribuição de oportunidades na sociedade de acordo com alguns investigadores. As diferenças regionais nas taxas de desemprego entre os jovens está aumentar significativamente e também diferenças profissionais como ressalta, isso poderia representar de acordo com Conselho Europeu (2013), uma séria ameaça para a coesão social e aumentar o risco de instabilidade política.
Na análise do Conselho Europeu (2013) taxa de desemprego juvenil representa a percentagem dos desempregados na faixa etária de 15 a 24 anos em comparação com a força de trabalho total nesse grupo etário, a partir da IMAGEM01 que é a comparação percentual da taxa de desemprego dos jovens e taxa de desemprego em 2013. É notável que as pessoas entre 15 e 24 anos pertencem aos grupos mais vulneráveis da nossa sociedade como eles são ou recém-chegados ao mercado de trabalho ou a sua posição no mercado de trabalho é recente e pouco consolidada.
IMAGEM01
IMAGEM01
Em 2013 a taxa de desemprego dos jovens atingiu 23,4% na UE 28, como podemos ver na IMAGEM01 e as disparidades significativas existe entre os Estados membros, sendo a menor taxa de desemprego dos jovens foi na Alemanha de 7,9% e a mais elevada na Grécia de 58,3% e Espanha 55,5%. No entanto existem variações significativas entre os países e alguns países estão mostrando resultados positivos. A taxa de desemprego dos jovens foi inferior a 10 por cento em dois países na Alemanha e na Áustria com 9,2%. Quanto à relação entre a taxa de desemprego dos jovens e taxa de desemprego a taxa de desemprego entre os jovens atinge nível mais alto do que a taxa de desemprego global principalmente no caso de países com muito elevada taxa de desemprego.
Apesar das implicações da crise em 2013 existem mais de 2 milhões de vagas não preenchidas na UE e com base nas diferenças nas taxas de desemprego, também é interessante olhar para as possibilidades de emprego para os países investigados. Quando comparamos os conjuntos totais de jovens desempregados (YUE) nos países europeus selecionados com conjuntos de ofertas de emprego livres (V), obtemos um rácio de conjuntos de jovens desempregados (YUEVR), ou seja um número de jovens desempregados correspondentes a conjunto de emprego único.
Em modo de sugestão os países com a maior taxa de desemprego dos jovens tem também o maior YUEVR (Chipre, Portugal, Espanha e Croácia). No caso de Chipre até quinze jovens sem trabalho apropriado trabalham nas férias e em países com altas taxas de desemprego juvenil assim como alta YUEVR estão espelhando a situação económica desfavorável global sobre o mercado de trabalho, de notar que não exista na altura dados para: DK, IE, ES, FR, IT, LT, HU e IT, e podendo observar através da TABELA01 que indica o rácio do desemprego jovem da Eurosatat.

BE BG CZ DE EE ES HR CY LV LU NL AT PL PT RO SI SK FI SE UK
YUEVR 1 5 2 0 2 10 8 15 6 1 2 1 9 12 6 3 5 2 3 2
2.1. O desemprego dos jovens e do ciclo de negócios
Parte2 – http://rishivadher.blogspot.pt/2016/01/ferias-parte2.html
Enviar um comentário