Robôs colaborativos(parte3)

Continuação – https://rishivadher.blogspot.pt/2016/09/robos-colaborativosparte2.html
A F&P lançou seu novo versão do P-Rob um robô pessoal, esta versão atualizada parece estar afinada e pronta para a ser utilizada, com a nova proteção da segurança e a atualização da garra e do software parece ser de fácil utilização.
A utilização duma proteção lisa e macia para reduzir a força potencial caso haja um impacto e aumentar a segurança do robô é uma melhoria inteligente, este tipo de cobertura também reduz ou elimina pontos de aperto. Este robô ainda têm uma força limitada através das suas articulações limitadas, no entanto, o que faz sentido que é reduzir a força assim reduzir o potencial dano. O robô colaborativo P-Rob foi desenvolvido para tornar a vida dos clientes mais fácil, na verdade o foco da empresa é na redução da complexidade e na automação para o benefício das PME, fornecendo soluções robóticas all-in-one.
F&P inclui braços robóticos com soluções modulares para quatro a seis eixos de liberdade garras para manipular e um sensível e seguro e software intuitivo com uma solução baseada na Web, que permite facilmente a integração de aplicações externas específicas de tarefas. Os controlos eletrônicos totalmente integrados permitem que o robô ser facilmente realocados entre diferentes estações de trabalho ou mesmo ser implantado em aplicações móveis.
P-GRIP é a parte extrema modular que é produzida através de material macio o que faz com que seja seguro para os seres humanos como o braço do robô. O corpo garra inclui a gestão multi-canal para ligar facilmente dedos personalizadas equipado com sensor.
As características colaborativas principais para o P-Grip são: Fácil de programação e através de um monitos com uma interface de utilizador intuitiva e amigável; a solução robótica all-in-one que a aplicação o braço e a garra; a inteligência artificial avançada devido à facilidade de aprendizagem, ensinar e capacidades de visão; sendo compacto devido à e eletrônica de comando que integrada no braço do robô sendo personalizável e modular e macio assim como modular.
P-Rob pode ser facilmente integrado em ambientes de trabalho existentes e podem ser redistribuídos ou adaptados a novas tarefas assim como sempre de forma eficiente se encaixam em constante mudança exigências do negócio. P-Rob pode ser implementado à linha de montagem e ser instalado e o seu funcionando em um tempo muito curto, o tempo de recuperação do investimento é tipicamente de seis a doze meses.
7-A próxima geração de robôs industriais
Nextage, um robô colaborativo de Kawada no Japão. Sua concepção global inclui um uma cabeça com duas câmaras, um torso, dois braços de seis eixos e uma base móvel. A sua cabeça é equipada com visão estéreo apenas como um ser humano, isto significa que pode interpretar coordenadas 3D com alta precisão, além disso a cabeça tem dois graus de liberdade que lhe permite ajustar o seu campo de visão com o fluxo de trabalho. O seu torso tem um display para assegurar a visibilidade do estado do robô, a sua altura total também pode ser ajustada alterando a altura dum elemento no torso. Nextage tem duas câmeras de mão que podem capturar informações 3D dum objeto as imagens tiradas de diferentes ângulos fazem com que a manipulação do trabalho do robô tenha uma maior precisão. Sua base tem rodas que pode ser movido ao redor e rapidamente transferidos para outra estação de trabalho. A sua base contém todos os seus sistemas de controlo tais como o sistema de reconhecimento de imagem através de um computador integrado. A aplicação utiliza uma interface gráfica que ajuda a operar o robô com elementos gráficos, e o código fonte para a aplicação é licenciado pela Licença Pública Geral GNU. Isso significa que o público em geral pode fazer download, distribuir e duplicá-lo.
IMAGME07
Os sistemas de segurança do Nextage tem uma característica muito interessante em que os seus cotovelos não irão mover-se para além do invólucro definido pelo seu ambiente de trabalho, devido à sua estrutura do seu eixo. Este é um recurso de segurança exclusivo para Nextage, mesmo se ambos os braços ser estiverem a movimentar-se o robô não colide com um ser humano com os seus cotovelos. Além disso os seus quinze eixos operacionais seis por braço, dois para a cabeça e um para o torso utilizam motores de baixa potência de oitenta watts para se mover impedindo as forças nocivas.
Sensores de segurança adicionais podem ser instalados para permitir que o robô consiga detectar um ser humano quando este se aproxima, este sistema fará Nextage parar no trabalho que esteja a realizar em quando necessário.
A leveza do robô da Kuka apresentado em 2013 a próxima geração de Robot Leve, LWR 5, concebida para aplicações industriais, sendo o objetivo da Kuka desenvolver um robô leve para o serviço industrial. É por isso que este robô também é chamado IIWA para assistente do trabalho industrial inteligente. Este robô flexível e sensível e permite novas possibilidades de automação, podendo o IIWA ser utilizado para automatizar tarefas complexas e delicadas de montagem que atualmente os robôs não podem fazer. Sendo as características principais do IIWA; o seu desenho que é baseado num braço humano com sete eixos, com integração de sensores em cada junta que permitem um controlo da posição e sensibilidade. Ele pode cumprir trabalhos delicados devido aos seus algoritmos de deteção de colisão built-in de alto desempenho e com um peso relativamente baixo pode trabalhar em espaços apertados e pode ser integrado em linhas de montagem com bastante facilidade. Desde IIWA seja apresentado como um robô colaborativa não existem então cercas na sua implementação.
IIWA apresenta as mesmas características físicas como a sua versão anterior a LWR 4+, mas tem uma arquitetura completamente nova do controlador, este novo controlador é chamado Sunrise KUKA. Seu paradigma de programação é completamente novo e agora utiliza a linguagem de programação mainstream, Java. No passado os controladores de KUKA foram utilizando KRL que é uma linguagem empresa. Além disso as ferramentas de encaixe do KUKA Workbench, com base no Eclipse tornaram fácil de integrar módulos de hardware, como um instrumento terminal elétrico.
As capacidades do IIWA da Kuka apresenta quatro diferentes demonstrações diferentes; como as funções básicas que é sobre como o braço é fluido e sensível a capacidade de manipular objetos pesados com sensibilidade e movimentar objetos sem que exista vibração sobre estes devido ao seu sistema de detecção de colisão e sua precisão de conseguir colocar veios em furos com aperto
Através deste tipo de robô a KUKA oferece uma solução flexível para qualquer oficina duma empresa, este também é o objetivo que se visa fazer automação acessível a qualquer empresa seja grande ou pequena, como os produtos são sinónimo de flexibilidade, a integração destes operadores terminais com a KUKA IIWA seria uma solução tudo-em-um para as empresas.
Continuação – https://rishivadher.blogspot.pt/2016/10/robos-colaborativosparte4.html
Enviar um comentário